A EVOLUÇÃO DA HOMEOPATIA

Desde que os espíritos desencarnados podem prever com mais certeza os acontecimentos futuros do nosso mundo, podeis dizer-nos se o emprego da homeopatia tende a se difundir tanto quanto já ocorreu com a alopatia?

Assim como inúmeras realizações e idealizações empíricas, outrora consideradas como charlatanismo, já se impõe atualmente como eventos científicos incontestáveis, também a homeopatia há de se consagrar como uma das mais exatas ciências de curar o homem. No momento, a medicina alopática sente-se quase impotente para solucionar muitos casos de enfermidades que se multiplicam incessantemente, enquanto que a farmacologia moderna, sob desesperada competição comercial, vê-se obrigada a substituir por outros os seus medicamentos. O desenvolvimento mental do cidadão do século XX, assim como os atuais descobrimentos científicos na esfera eletrônica, dão capacidade suficiente ao homem para compreender o mecanismo do mundo infinitesimal e o consequente poderio das doses dinamizadas da homeopatia. Mas é evidente que a história sempre se repete quando ocorrem descobertas valiosas para a humanidade, pois esta reluta em reconhecer o valor dos seus grandes pioneiros. Apesar da consagração moderna do magnetismo e do hipnotismo terapêutico, Mesmer e Braid, seus descobridores, foram considerados em sua época como hábeis charlatães. Pasteur, hoje consagrado como uma das glórias incontestáveis da ciência médica, também foi hostilizado quando tentou demonstrar a vida microbiana; Harwey, que descobriu a maneira pela qual se processa a circulação sanguínea, e Semmelweis, o médico que identificou a febre puerperal, foram considerados néscios, embora suas descobertas formem hoje às bases dos mais rigorosos tratados científicos modernos.
Samuel Hahnemann, o gênio da homeopatia, também teve sua vida amargurada pela perseguição e pelo sarcasmo dos médicos alopatas; mas tudo isso há de se transformar no mais profundo respeito ao critério científico da homeopatia, pois chegará a época em que a ciência médica terá de penitenciar-se pelo fato de haver esquecido aquele homem durante tanto tempo. Ele foi um dos maiores cientistas da humanidade, e o seu método terapêutico enquadrado na lei de que ” os semelhantes curam semelhantes”, é o mesmo que a própria Natureza costuma empregar no tratamento das enfermidades crônicas quando, sob genial processo, acrescenta outra função enfermiça à própria doença que pretende curar.
Não ignoram os próprios médicos alopatas que a lei do ” simila similibus curantur” também rege os princípios da vacinoterapia, da dessensibilização alérgica, no tratamento hormonal, e faz parte de várias terapêuticas modernas, enquanto em doses infinitesimais são preparados os histamínicos, os isótopos, os colóides e os dessensibilizantes! E, após as descobertas que a ciência logrou no terreno da energia nuclear, já não se pode mais duvidar do dinamismo pontificado por Samuel Hahnemann no seu tratado homeopático.

Livro: Fisiologia da Alma. Ramatis.
Psicografia de Hercílio Maes
Espírito Ramatís
Editora conhecimento

http://edconhecimento.com.br/?livros=fisiologia-da-alma

 

Gelson – Homeopatia – Miasmas e Diáteses – Doenças Agudas e Crônicas – PICS

Print Friendly, PDF & Email
A Evolução da Homeopatia
Compartilhe este Artigo

Deixe uma resposta