Septicemia e Homeopatia

 

A Homeopatia pode ser muito útil em uma septicemia.

Veja o texto abaixo.

Mulher, 35 anos, com intensa cólica renal.

Procura o hospital na esperança de aliviar a dor às 09:30h.

É atendida às 10:00h, de uma 5ª feira, e o médico dá Buscopan na veia, pede os exames e sai para os demais atendimentos.

As 14:00h faz o ultrassom e verifica-se que está com uma pedra impactada no ureter causando represamento total da urina nele e o rim esquerdo está com mais que o dobro do tamanho.

O hospital estava abarrotado de pessoas, muitas vindas do interior…

O médico saiu às 12:00h para almoçar e só voltou à emergência às 18:00h.

Constata início de septicemia e fica assustado e informa-nos que o antibiótico só começa a fazer efeito depois de 48:00h.

O que fazer?

Ao conversarmos com ele sobre a gravidade do caso, foi autorizado dar Homeopatia concomitante ao antibiótico, mas ao voltar com o remédio, ele já tinha passado o plantão e o substituto não admitia tal fato, pois dizia faltar “dados científicos” sobre assunto em algum livro ou revista, mas não servia o de Homeopatia.

Convencido de que a Homeopatia agia em 10 minutos, “autorizou” dar o remédio, mas ele não estava vendo nada.

Mas qual o remédio você vai dar? Arsenicum album CH9 e Pyrogenium CH7.

Assustado com nomes diferentes do que ele está acostumado, mas a sepse já havia se instalado e era a última esperança.

Quando M. saiu para fazer um novo ultrassom, tomou os remédios abaixo:

Após tomar o Arsenicum (uma esguichada de conta gota) começou a apresentar melhora nos sinais vitais de imediato.

Após tomar o Pyrogenium (5 gotas) começou a apresentar mais melhora nos sinais vitais.

Essas doses foram repetidas mais uma vez.

Após este fato apresentou melhoras clínicas e laboratoriais significativas e estabilizou o caso. Parou a septicemia.

Começou a ser mobilizada para trocar de hospital a procura de um urologista.

Às 22:45h de 6ª feira coloca-se um “duplo J”, passa urinar uma massa amarela.

No sábado às 13:30h começa a tomar novamente a Homeopatia, Arsenicum alb. CH9, Pyrogenium CH7, por 2 vezes, 10 gotas e 5 gotas, respectivamente. Depois tomou uma dose, de 10 gotas, de Mercurius corrosivus CH9 (para salvar o rim) e passou a ter dificuldade de respirar. Ambas com intervalo de mais ou menos 20 minutos. Voltou a tomar o Arsenicum alb. CH9, Pyrogenium CH7, por 2 vezes, 10 gotas e 5 gotas, respectivamente. E, mais uma vez, uma dose, de 10 gotas, de Mercurius corrosivus CH9, pois tinha que salvar o rim.

Por intuição percebi que havia dado pleurisia, mas salvado o rim.

Toma novamente as Homeopatias, Pyrogenium CH7 Arsenicum album CH9, por 2 vezes, 10 gotas e 5 gotas, respectivamente, reduz um pouco a dificuldade de respirar, mas o mal estar permanece.

Às 17:00h ela vai para a CTI após abrir uma vaga, que deveria ter sido liberada às 10:00h, mas os familiares da interna da CTI não chegavam para ficar com ela no quarto (Graças à Deus).

O Raio X e a tomografia, feitas às 17:00h do domingo, confirmam ampla pleurisia dupla.

A equipe médica dá um diurético e ela reage bem eliminando a água do pulmão.

No CTI tomava dois passes por dia. E tinha mais de 100 pessoas em oração por ela.

Nesse período de CTI, tomou 3 antibióticos diferentes e no quarto, além deles e vários outros remédios químicos, tomou mais Arsenicum e Pyrogenium por várias vezes ao dia principalmente se o rim doesse, e algumas poucas doses de Mercurius corrosivus.

No 9º dia estava clinicamente muito bem e laboratorialmente “90%”, pois precisava baixar a proteína C reativa para menos de 3, se não me engano e com duas doses, de 10 gotas,  de Mercurius corrosivus. No 10º dia estava bem e recebe alta.

Depois de 7 dias na CTI vai para o quarto e depois de 3 dias no quarto recebe alta.

Devido à insegurança com a possibilidade da pedra quebrar e entupir o cateter evitou tomar o remédio para os cálculos imediatamente após sair do hospital, mas tomou várias doses de Arsenicum album, Pyrogenium, Mercurius corrosivus; umas duas doses de Apis melifica, duas doses de Bryonia alba, ambas no CH9.

Faltando 12 dias para o procedimento (20 dias após sair do hospital) para a retirada das pedras e do cateter, tomou:

Calculos renalis CH9 – 15 gotas 2 vezes ao dia

Berberis vulg. CH15 – 15 gotas 1 vezes ao dia

Calculos biliaris CH9 – 15 gotas 1 vezes ao dia

Mercurius cor. CH9 – 15 gotas 1 vezes ao dia

Sendo que o Berberis e o Mercurius corrosivus eram tomados alternados, em dias diferentes.

Nesse período apresentou um corrimento marrom escuro com alguns filamentos.

No dia do procedimento os médicos se assustaram, pois a pedra estava como miolo de pão molhado, toda melosa e já tinha sido eliminada a maior parte.

Dois dias depois retirou o cateter e teve alta. Três dias depois não sente mais nada.

Detalhe: no mês de outubro, M. tinha expelido duas pedras e ao tomar o Calculus renalis CH5 – 7 gotas 1 vezes ao dia, alternado com Berberis vulgaris CH30 – 7 gotas 1 vezes ao dia, urinou muita areia e teve uma dor muito intensa, por isso deixou para continuar o tratamento no ano seguinte, aí…

Quer complicar? Deixe para depois.

Homeopatia já!

OBS.:

Fazemos este relato no intuito de ajudar a salvar vidas, pois se uma pessoa entra em sepses normalmente morre, pois os remédios químicos demoram a fazer efeito (48:00h, conforme informou o médico).

As diluições homeopáticas foram descritas adaptando-as ao que achamos condizente com o tratamento que uma pessoa que nunca tomou Homeopatia possa fazer em uma emergência como esta, de forma segura e sem o risco de exoneração forte.

As diluições que M. tomou foram maiores e na mesma diluição que já tinha tomado em outras fases do tratamento, pois reduzir ou voltar diluição em uma emergência pode ser fatal.

A combinação de remédios para as pedras dos rins e vesícula nos foram passadas por intuição/visualização por um espírito que se identificou como Liews.

O autor do relato é Terapeuta Holístico desde 2000.

Homeopatia para Septicemia, Estado Séptico, Infecção Generalizada.

Indicação 

Arsenicum album CH9; 30ml

7 gotas 3 vez ao dia

Pyrogenium CH7; 15ml

3 gotas 3 vez ao dia (14:00)

 

Tomá-los por X dias.

X o número de dias necessários para a pessoa se recuperar.

O Pyrogenium para a Sepses em poucos minutos e, às vezes, com uma dose de 7 gotas, mas a sepses requer um tratamento mais amplo.

 

—————-

Após sair do estado séptico precisa de tratar o órgão afetado, o cancerinismo e o outro Miasmas predominante.

 

.
Voltar:
https://www.csterapias.com.br/index.php/doencas-
cronicas/

.

Curso de Homeopatia.

https://www.csterapias.com.br/index.php/cursos/ – Curso de Homeopatia
.
Visite-nos:
www.csterapias.com.br – Visite-nos e conheça a Homeopatia.
.

Tags

Septicemia e Homeopatia 

Homeopatia e Septicemia 

Septicemia and Homeopathy

Homeopathy and septicemia

La septicemia y Homeopatía

La homeopatía y la septicemia

Сепсис и гомеопатия

Гомеопатия и сепсис

敗血症和順勢療法

順勢療法和敗血症


敗血症とホメオパシー

ホメオパシーと敗血症

 

Septicemia e Homeopatia
Compartilhe este Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *